Tulio Schargel

IMG_tulio_pb

Diretor e produtor de filmes com especialização em cinegrafia subaquática, Tulio Schargel é um apaixonado pela natureza que acredita ser fundamental a observação e compreensão dos comportamentos dos seres vivos e as dinâmicas de seus biomas para uma transformação da utopia em que vivemos. 
 Há mais de 30 anos registrando imagens subaquáticas e com 17 documentários realizados para TVs de vários países, teve sua vida invadida pela Educação ao transformar um de seus premiados filmes em um projeto didático-cultural inovador: o “Megafauna”, já visto por mais de 25 mil pessoas. 
Nascido em São Paulo, mas visitante incansável de Ubatuba, teve sua primeira experiência com mergulho aos 12 anos quando, por falta de conhecimento e orientação, teve os tímpanos rompidos e uma das piores noites de sua vida. Apesar deste doloroso incidente, nunca mais se afastou do reino de Netuno: “Naquela época mergulhava até em poça d’água!”. Alguns queridos mentores foram fundamentais. Seu grande amigo e vizinho, Efrain, que o acompanhava nesse episódio e em muitos outros que viriam a seguir, foi o responsável pela sua introdução ao mundo aquático. 
No ano seguinte ganhou de seu amado tio Sioma a oportunidade mensal de visitar os mares e florestas do mundo com uma assinatura internacional da revista National Geographic. E foi deste mesmo grande incentivador que Tulio ganhou sua primeira câmera, uma Olympus Pen, e fez primeiro clique: 
 

 

 
Depois de uma sucessão de “coincidências” e uma seqüência de oportunidades únicas, Tulio se torna uma referência no mergulho e desponta como cinegrafista subaquático em 1986. A partir daí começou sua jornada profissional que sensibiliza a todos até hoje com as suas imagens, através de programas, documentários e co-produções com canais da TV brasileira e internacional, como National Geographic, ARTE, CBC, Discovery e France5. 
Fotógrafo por paixão, artista-educador nas brechas do sistema, pai de três lindos filhos, ainda se aventura na cozinha, outro grande interesse desenvolvido através da sua mãe, Helena, e que hoje deixa os amigos encantados com suas experiências com pães de fermentação natural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *